Terapia para Transtorno Opositor Desafiador em Guarulhos

Tratamento para TOD Transtorno Opositor Desafiante em Guarulhos.

Psicólogo e Psiquiatra tratam o Transtorno Opositivo Desafiador (TOD) em Guarulhos
 
Ao convivermos em sociedade, aprendemos desde quando éramos crianças que existem normas e que devemos segui-las. Tanto em casa, com a família, como na escola as regras existem para compreendermos o que pode ou não ser feito. Visto isso, existem pessoas que tem resistência ao seguir regras e ordens dadas a ela. Nesse caso, pode ser o caso de TOD transtorno de oposição desafiante ou transtorno opositivo desafiador.
 
O que é o TOD Transtorno de Oposição Desafiante?
O Transtorno de oposição desafiante (TOD), é uma condição onde a pessoa apresenta dificuldades para seguir regras e figuras de autoridades. Nesses casos a família percebe os traços comportamentais desde a infância. Sendo necessária a busca do tratamento para manejar os comportamentos inadequados.
Em crianças, o TOD (Transtorno de oposição desafiante) é caracterizado por um comportamento persistentemente negativista, hostil, desafiador, provocativo e destrutivo, fora do espectro normal de comportamento da faixa etária e do contexto sociocultural. O TC (transtorno de conduta) é considerado um agravamento do TOD, uma vez que abrange comportamentos de violação à lei e ao direito básico dos outros (DSM-5 e CID 10). (CHALFON & RAMOS, 2021, p 277)
 
Quais os sintomas do Transtorno Opositor Desafiador?
De acordo com o Manual de Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5), pessoas com Transtorno de conduta podem apresentar: problemas de auto controle de emoções, piromania (grande fascínio por atear fogo em objetos), violar os direitos dos outros por meio de agressão ou destruição de propriedade (objetos pessoais).
O DSM-5 elenca oito critérios para a realização do diagnóstico, especificando a difusão dos sintomas como um indicador de gravidade, sendo fundamental a avaliação do comportamento do indivíduo em vários contextos e, principalmente, no meio familiar e escolar. (AGOSTINI & SANTOS, 2018, p.3)
 
Outros comportamentos relacionados ao Transtorno Opositivo Desafiador, são:

 

  • Perder calma com facilidade;

  • Baixa tolerância a frustações;

  • Facilmente incomodado;

  • Questionar figuras de autoridade;

  • Recusar-se a obedecer às regras (cuidadores, professores e supervisores de trabalho).

  • Culpar os outros por seus erros ou mau comportamento.

  
Quais os subtipos ou as classificações para o Transtorno Opositivo Desafiador?
Esse transtorno pode ser classificado em, leve (onde os sintomas são presentes em alguns ambientes), moderada ( onde os sintomas são presentes em pelo menos dois ambientes) e grave: sintomas são presentes em três ou mais ambientes).
 
Outros diagnósticos relacionados a essa condição, são: transtorno de conduta, transtorno disruptivo, do controle de impulsos ou da conduta e transtorno explosivo intermitente.
 
Qual o tratamento para o Transtorno Opositor Desafiador?
Em relação ao tratamento, fazem-se necessária a intervenção de psicoterapia com psicólogo em Guarulhos e até mesmo ajuda psiquiátrica, para fechamento de diagnóstico e conduta medicamentosa.
No caso da psiquiatria, a consulta está voltada as questões de funcionamento cerebral, referente ao controle dos impulsos, para obter melhora nos comportamentos disruptivos ou inadequados.  
No tratamento do TDO, conforme afirma Teixeira (2014), é comprovada a eficácia de alguns medicamentos, segundo estudos científicos realizados nessa área. O foco de atuação desses medicamentos está relacionado à diminuição dos sintomas de impulsividade, raiva e agressividade, característicos do transtorno. O autor alerta, porém, que tais medicamentos atuam como paliativos, aliviando alguns desses sintomas e proporcionando uma melhora do quadro comportamental da criança com o TDO. Essa melhora desemboca em um aumento da qualidade de vida não só da criança, como também da família e de outras pessoas com as quais o paciente interage. (TEIXEIRA, 2014, apud, AGOSTINI & SANTOS, 2018 p.24)
 
Como a psicologia e psiquiatria tratam com essa questão do Transtorno Opositor Desafiador? (tratamento)
Ao entender que a família é a que mais enfrenta os desafios dos comportamentos indevidos, a psicologia pode contribuir para a psicoeducação parental. Sendo essa, uma orientação para prevenir e manejar os comportamentos, assim como controlar as consequências dos comportamentos.  
 
A utilização da psicoeducação familiar tem por finalidade promover informações e orientações quanto ao curso e diagnóstico do transtorno, inclusive quanto às características sintomatológicas e aos métodos de tratamento, proporcionando debates sobre estratégias a serem adotadas pelos familiares no sentido de como lidar com a criança com um TDO (transtorno desafiante opositor). (TEIXEIRA, 2014, apud, AGOSTINI & SANTOS, 2018 p.22)
 
O manejo do comportamento e adequação às regras sociais, por meio da terapia cognitivo comportamental, permite que o indivíduo possa socializar de forma mais adequada, promovendo, assim melhores condições para o seu desenvolvimento pessoal e profissional.
 
Assim, torna-se imprescindível o controle preventivo do transtorno, para impedir que a sua evolução venha a se manifestar. É importante que o profissional da Psicologia domine o conhecimento de todo o processo dimensional e funcional do TDO, para que as devidas intervenções sejam realizadas. Caso contrário, haverá, consequentemente, um quadro de prognóstico desfavorável para o indivíduo. É importante também ressaltar que, como os comportamentos de oposição encontram-se geralmente associados ao curso do desenvolvimento normal da criança, conforme enfatiza a literatura sobre este tópico, é necessária a efetivação de uma avaliação minuciosa e diagnóstico diferencial, para fins da aplicação de intervenções adequadas. (AGOSTINI & SANTOS, 2018, p. 25)
 
Referências bibliográficas
CHALFON, Mariana Simão Taliba; RAMOS, Denise Gimenez. A terapia de sandplay com crianças com sintomas de transtorno opositivo desafiador e transtorno da conduta. Bol. - Acad. Paul. Psicol.,  São Paulo ,  v. 41, n. 101, p. 276-290, dez.  2021 .   Disponível em <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415711X2021000200014&lng=pt&nrm=iso>.
 
AGOSTINI, Vera Lúcia Miranda Lima e SANTOS, Wenner Daniele Venâncio dos. Transtorno desafiador de oposição

e suas comorbidades: um desafio da infância à adolescência. Psicologia.pt, São Paulo, 2018. Disponível em < Transtorno desafiador de oposição e suas comorbidades: um desafio da infância à adolescência (psicologia.pt)>